Aporia.

por Lequinho Maniezo

30 mg disso, 60 daquilo
Me de anestesia
Tenho a forca preparada pra mim
Pancadas e pancadas na cabeça
Bem antes do café da manhã

Sabia uma oração muito bonita
Uma de mentira
Importa? Claro que importa, é verdade
Coisa que quero acreditar
Importa
De onde venho isso tem nome
Ingratidão
O sapo foi esmagado debaixo da roda de um carro.

Quero que a sua verdade seja mentira
Que a dele seja verdade e que a sua também
Negatividade que eu não me lembro
Quando eu for -1, como sentirei?
30 daquilo, 60 disso.
Um faqueiro na cozinha, bem quando esta tudo quieto.

Eu não vou ouvir os gritos, não vou sentir a terra
Por estar preocupado com o Eu, sendo que não existo.
Anão, menos ainda, menos que menos
-1, numa banheira cheia d’agua e comprimidos.
Comprimido num corpo.
O vácuo não é o nada, um nada absoluto
Respirando em eterna agonia, com calor de um verão pesado
Tenho sinusite.
E é possível que não corra a maratona
E esteja treinando para a maratona que não vem nunca.

Talvez eu queira me adiantar e chegar ao estádio antes da hora
Não ficar pros créditos.
Não ficar pra nada.
No silencio antes do café da manhã.

Anúncios