D I A N O R M A L

por Lucas Gomes

Uma sexta-feira qualquer. O sol estala, o banco do ônibus faz a temperatura ser maior do que o normal. Dizem que vamos para o inferno se cometermos pecados. Ouço disparos, o inferno deve ser no próximo ponto. Mas, aquele ainda não é o meu. São duas crianças para criar, um barraco na parte baixa de uma favela na cidade maravilhosa. Ouço mais disparos. Eu não tenho dinheiro pra essa maravilha toda, mas pras minhas crianças verem eu preciso trabalhar. Eu não quero que meus filhos sejam playboys, mas quero que eles tenham uma vida melhor que a minha, já diria BK. O sol não dá descanso. Hoje elas não foram pra escola, as crianças da escola particular também não. Todas sem aulas, mas as minhas sem educação e dinheiro. O dinheiro é pra comer. Ouço mais disparos, até o final do dia não sei se vou viver. Mas tenho que ir pro trabalho, ficar sem dinheiro é de fuder, tenho que encarar a guerra, senão meus filhos vão morrer. Mais um dia normal, é só uma sexta-feira qualquer.

Anúncios